Waldryano podcast

Escritores mediocres, leitores e o ó

Diz aí, se é possível ter tudo na vida? Não, nem que quiséssemos, poderíamos ter tudo na vida.
E é assim na escrita, uma busca constante, de modo a melhorar.



Até mesmo citar que é necessário melhorar constantemente é algo que cai como ofensivo aqui e ali.
Estes dias atrás, li um autor aqui (não cito nem sobre tortura) que escrevia mal a beça, textos desconexos, rasos e sem lógica. Era conto pense! Era o processo dele, posso dizer que a idade dele era bem avançada. Mas penso que isto de idade é meio sem lógica para citar como divisor de águas. 

Afinal, quem não garante que este autor aposentou e pensou: — Vou desbravar o mundo, e será o literário.
E ontem li um conto dele, dei-lhe uma hipótese, e fiquei aqui em casa pensando:

— Que tiro foi esse?
Evoluiu.

Escrever é diferente que ter uma rede social cheia de amigos, ou até mesmo ter uma bagagem acadêmica, sem o certo direcionamento.

É certo sim dizer que quem escreve tem uma boa oratória, claro, na escrita precisa-se fazer retomadas, seguir um raciocínio lógico, estruturar o léxico de palavras, revisar e reescrever.

O cara em questão escreveu um texto simples, de cotidiano, mas pareceu-me algo brilhante, pela narrativa e a descrição dos acontecimentos. Gostei, pareceu algo bem profissional no estilo que de vez em quando leio aqui de autores famosos.

De vez em quando? De vez em sempre, o escritor escreve para leitor, e para isto é preciso usar boas referencias na sua escrita.

Existe sim uma certa camaradagem, de ler o outro escritor que esta na labuja como você. Todavia, somente ler escritores amadores é um belo de um tiro no pé, afinal, muito que aprendemos é por assimilação. Assimilar de autores famosos é preciso neste universo paralelo que é: Escrever.

Ler bastante é importante, sites, de bom nome como a CNN ou o G1 (ignore o engajamento editorial de tal site e observe sempre como é feito os textos)
O escritor procura sempre melhorar a sua narrativa e isto é uma constância na vida dele. Simples assim.

Estes dias estou assistindo vídeos da galerinha do Instagram. Escritores labujentos em busca a um lugar ao sol.

Seguem: Metas, metas e mais metas.

A minha meta antigamente era caracteres. Tipo mil palavras por dia. Não importa se era um texto corrido no blog. Ou algo romântico mela calcinha, romances do wattpad. E aqui neste site, os tão famosos contos.

Agora vou chegar a raiz da questão.

Os escritores cujo qual eu me reverencio. Escreviam em of, estudavam bastante e não tinha comentários nos textos deles. Exceto os folhetins de mil oitocentos e bolinha.

O escritor daquele tempo não tinha um esquadrão de; leia o meu que eu leio o seu. Até liam deste modo. Mas somente amigos cujo qual agregava a leitura. Não é nada estranho a você pensar, que parece as classes literárias, um certo modo coerente de escrever, pois, se comunicavam e informavam sobre as suas obras.

José de Alencar é um bom nome a se pensar assim. Ele quis oferecer a nós índios subdesenvolvidos, romances espelhados nos grandes nomes da Europa no seu contemporâneo.

Vejo pouco disto aqui. O povo se preocupa em fazer textos, tipo blogueirinho e jogar ao vento e ficam desesperados querendo aplausos fajutos que não precisaria. Afinal, cada escritor tem o seu pra melhorar.
Um desespero.

Desespero de escritores em busca de leitores escritores.
Escritores bebezões que não querem evoluir e estudar. Querem bajulações de modo a afagar o seu ego. Ego que nunca deveria existir em quem precisa evoluir.
E deste modo engessam o certo e criam um círculo vicioso horroroso.

Não vou citar nomes aqui, mas cada um com a sua culpa e os seus "melhorar" para resolver.
Vejo um escritor aqui que não progride, pois, não volta, não reescreve, julga que esta, bom, recebe elogios fajutos e pensa que esta tudo certo.

Não esta.

Esta criando um círculo vicioso assustador e morrendo num marasmo eterno.
Outros escritores precisam parar e respirar e ler um livro. Dois três, metas! Estudar e ler gramáticas, inclua me nessa!

Não posso cair neste círculo vicioso que engessa a tantos.
Voltando ao escritor que progrediu de pikachu a raichu.
Não tem comentários, escreve bastante  e tem uma ótima gama de textos. Parabéns, amigo! O Deus dos escritores esta te vendo e dando te um joinha. 

Vamos tocar nas feridas.

Torneios e concursos. Um rol seleto de amigos que votam um no outro e se mantém divulgável. Tipo. Ou você entra na rodinha, ou saia correndo deste lugar.

Já vi o lado negro da força no Wattpad nos concursos oficiais. Uma barreira intransponível que acho errada desumada e infelizmente bem bolsonariana de ser. Não entro neste tipo de coisa. Prefiro ficar nos meus textinhos.

Estes dias, estou pensando bastante em ficar meio que isolado e não aceitar comentários. (Se te ofendeu ou não quer ser hipócrita no meu espaço não comente por favor). Pois, é outra coisa complicada. Já tive todos os tipos de comentários que imaginastes, e prefiro nem comentar. (se você é um especialista em norma culta e achou erros no meu texto vai tomar no meio do teu sabe o que estou praticando).

Fui, já fechei minha meta. Desculpe a sinceridade, quarentena tem destas coisas. 



Agradecimentos a extensão do google Chrome LanguageTool 

Nenhum comentário:

Recentes aqui no Blog

Pesquisar este blog