O visitante | Gabriel Garcia Marquez

En Español:
Dos exploradores lograron refugiarse en una cabaña abandonada, después de haber vivido tres angustiosos días extraviados en la nieve. Al cabo de otros tres días, uno de ellos murió. El sobreviviente excavó una fosa en la nieve, a unos cien metros de la cabaña, y sepultó el cadáver. Al día siguiente, sin embargo, al despertar de su primer sueño apacible, lo encontró otra vez dentro de la casa, muerto y petrificado por el hielo, pero sentado como un visitante formal frente a su cama. Lo sepultó de nuevo, tal vez en una tumba más distante, pero al despertar al día siguiente volvió a encontrarlo sentado frente a su cama. Entonces perdió la razón. Por el diario que había llevado hasta entonces se pudo conocer la verdad de su historia. Entre las muchas explicaciones que trataron de darse al enigma, una parecía ser la más verosímil: el sobreviviente se había sentido tan afectado por su soledad que él mismo desenterraba dormido el cadáver que enterraba despierto.

Em Português:
Dois exploradores conseguiram se refugiar em uma cabana abandonada, depois de viverem três dias angustiantes perdidos na neve. Todavia depois de mais três dias, um deles morreu.
O sobrevivente cavou uma cova na neve, a cerca de cem metros da cabana, e enterrou o corpo do companheiro. No dia seguinte, porém, ao acordar de seu primeiro sono de tranquilidade, ele o encontrou novamente dentro de casa, morto e petrificado pelo gelo, mas sentado como um visitante formal em frente a sua cama.
Ele o enterrou novamente, desta vez em um lugar mais distante, entretanto quando acordou no dia seguinte, ele o encontrou outra vez sentado na frente de sua cama.
Então ele perdeu a cabeça.
Pelo jornal que mantinha até então, ele sabia a verdadeira  história. Entre as muitas explicações que tentavam se entregar ao dilema desencadeado por sua sandice, uma parecia ser a mais plausível: o sobrevivente se sentia tão afetado por sua solidão que ele próprio desenterrou o cadáver estava a sua frente.


Observação: Traduzido por Waldryano.

Nenhum comentário:

Recentes aqui no Blog

Pesquisar este blog