A sensualidade no Mundo do Funk

Bom dia, boa tarde e boa noite

Hoje gostaria de falar com vocês leitores do Blog um assuntinho, que por vezes cai na internet, torna-se polêmico e volta-se ao esquecimento.



Para exemplificar utilizarei dois exemplos: 
Uma que foi vítima a Mc Melody E o outro o agressor: O Youtuber Felipe Neto.


O Tema: A sensualização no Mundo do Funk



O nosso primeiro exemplo é uma menina, que já estragou seus pensamentos, pois dês de nova era obrigada, de modo persuasivo a rebolar até o chão.
Pense amigo, uma criança, teve sua infância roubada por um pai que de todos os modos queria que ela fosse uma moça.
Eram em fotos no Instagram, ou nos famosos vídeos do Youtube.
Pega-lhe uma criança, coloca um batom vermelho na boca, e uns pompons de papel pra simular seios que não tem, e transforme esta coitada criança numa Shakira Tupinikin.

E o povo adora! E bate palma de pé a menina, que outrora trocaste as bonecas por ter que fazer carão pois o próprio pai (Empresário Mc do Ramo) de modo que só os pais sabem fazer obrigavam a anjinha que infelizmente esta crescendo neste ambiente hostil, esta toda 'atrapalhada' pois simplesmente fez um jump de uma fase que deveria viver: A infância.

E nem preciso citar que isto torna um efeito cascata.

As menininhas de 12 anos a vêem  como referência, e logo tudo que ela faz querem imitar, inclusive a sensualidade.
Outro exemplo que preciso citar é o agressor hipócrita.
Este é a pior escória que se pode imaginar na face da terra. Pois o seu ganha pão é a desgraça dos outros.
Não é de se assustar que nossos jovens estão sendo educados com a internet.
Os youtubers são vistos e aplaudidos de pé. Tanto que o nosso mercado editorial, de biografia, ama eles. Pois vendem! E como vendem.
Todavia, eles tem uma forma canceriana na sociedade, que é a influencia. Eu tenho quase a mesma idade dele, e o vi dês do inicio.
O porco deste rapaz, iniciava seus vídeos com uma quantidade imensa de palavrão. E os seus vídeos eram todos maliciosos e cheio de sensualidade e vulgaridade.
Resultado?
Tornou-se amado por crianças, que infelizmente são educados pelos celulares em todos os lugares deste Brasil, pois seus pais sempre estão sem tempo para educar seus próprios filhos.
E estes inocentes, e inocentas crescem achando que o certo é o errado.
Pulam fases da vida, querendo usar do corpo como objeto de desejo e de cobiça do seu meio.
Falo eu Waldryano, como quem foi no âmbito estudantil em 2017 e viu na vida real o que acontece nas escolas do Brasil, no caso do meu bairro.
Na cena, que vi no meu ambiente de estágio.
Eram adolescentes tocando funk no fundão da sala.
E meninas de doze anos com batom na boca e shortinhos. E brincos que quase derrubavam a orelha.
E meninos que nem corpo tinham tendo que domar aquela safadeza.
Pense amigo, crianças sendo promíscuos no ambiente estudantil.
Olhei para o meu instrutor que me aconselhou ficar quieto e fazer de conta que não tinha visto nada.
Ou seja, 
Ao coitado isto é normal, e meu exemplo segue em muitas escolas por aí.
O que isto gera?
Gera, gravidez sem planejamento e gera um aborto que pode até dizimar a vida destas crianças.
E a cultura do aborto torna-se assim:
— Vou ali comprar um abortífero... 
— Que horror!
Vivemos nesta realidade infelizmente. O meu  colaborador Lucas José, meio que em forma de denuncia, compôs um poema, em forma de canção que denuncia tal fato. 
Segue a sua leitura. click aqui e leia

Um abraço a todos!

Eu apontei coisas que fazem infâncias serem roubadas, ao leitor, tente, através da sua criatividade denunciar e ser ouvido, tire a amordaça das nossas crianças!




Postagem em destaque

E se

E se algum ente querido tivesse morrido? E se um tapa na cara fosse o fim de um romance? E se o meu cachorrinho tive...