Contos Waldryano

Um, dois, três... Academia

Me achava
Feio mal amado
Magro mal falado
Espingarda torto
Pense podia?
Chorei anos minha magreza
Que acabava com a minha alegria
Pense podia?
Passava na frente
A vergonha em mim repercutirá
Mas sabia que pra
Magreza
Fraqueza
Gordura
E até feiúra
Só existe um remédio
Academia
Mas não foi  algo fácil
Da noite pro dia
Entre roscas diretas
Supinos
remadas altas
Lá estou eu indo
Para a academia
Minha cura
Endorfina
Encontrei
Foi lá na academia
Hoje já são três anos
Uma horinha sagrada
Do meu dia
Eu gasto da melhor forma
E é na academia
Malhar, meditar
E as minhas cargas aumentar
É lá na academia
Creatina
Regatinha
Everlast
Tudo gasto com a academia
O sonho acaba
Quando tomo 1 litro de água
Na minha horinha
Da academia!
Você pode ficar
A chorar
Reclamar
Até se amargurar
Vou te contar
Você vai se curar
A malhar na academia
Lá tem uma disputa diária
Que eu travo
Comigo mesmo
Podia?
Posso. Três anos malhando
Com você conversando
Eu lírico motivando
Preciso finalizar te contando
Eu amo academia
No pain no gain
Daqui a pouco
É nóis na
ACADEMIA

Nenhum comentário:

Recentes aqui no Blog

Pesquisar este blog