02 — Aconteceu


O2 - Aconteceu

A Lara fica cega quando vê esse Thomaz, a propósito, ontem ela me deixou sozinha na festa da Carla, logo encontrou o Thomaz eu fiquei lá plantada no meio da sala dela:

— E eu?

Estava ficando preocupada de estar naquela festa, pois nem avisei que iria nela para o meu namorado. Graças a Deus ontem já se foi.

Agora estou voltando para a casa e pensei em ligar para a mãe da Lara queria conversar com ela sobre o comportamento da minha amiga:
— Alguém tem que dar uns para ela, pois a Lara não me escuta e está caidinha de amores por aquele Thomaz só quer...

— Deixa eu ver aqui, sim, tenho o celular dela. Vou ligar. Atende! Atende!

(Depois de um tempo)

— Oi Neide, como vai? Eu queria conversar com a Senhora nada sério é sobre a Lara, hoje? Sim... Conheço esse café é pertinho...

Domingo de Manhã e eu caminhando indo para casa. Antes? Estava na escola dominical.
Me preocupo com a Lara e não gosto de deixar minhas preocupações para o outro dia, a propósito, hoje é o grande dia que irei noivar será um jantar na minha casa e estou muito feliz sim é melhor acelerar o passo ... Entro escolho uma mesa e peço um café. Aqui tem ar-condicionado ambiente agradável e cristão.

Sentada na minha mesa e tomando meu café, logo penso: — Por que será que a Lara está agindo assim? E a Dona Neide entra no café assustada e me pergunta:
— Você saiu ontem com a Lara não é?

— Claro. Demonstro afirmação. Aquela Senhora estava tensa.
— Calma dona Neide, sente aqui vamos tomar um café e conversar. A mãe da Lara foi se acalmando e logo disse:

— Ontem ela chegou tarde em casa e quem trouxe ela foi... Completei a frase: O Thomaz.

— É bem sobre esse rapaz que gostaria de conversar contigo dona Neide, foi deste modo que iniciamos e conversamos por um bom tempo. Dona Neide tinha fortes razões para se preocupar a fama do Thomaz não era das melhores e a Lara estava cega, sempre assim, não adiantava falar nada a ela em relação a esse rapaz.
Nos despedimos e combinamos de ir ao culto à noite.

Ao caminhar a minha casa, muitas coisas foram passando na minha cabeça, era o jantar que iria preparar era o meu futuro noivado com o André, e na mente ia idealizando o cardápio...
De repente vejo o celular tocar e olho quem estava chamando. Era a Lara. Rapidamente atendo:

— Oi Amiga, Me deixou plantada na festa ontem da Carla não é? Han? Como assim? Me defina a palavra ACONTECEU... Como? Fiquei bastante nervosa os meus temores vieram à tona. Realmente a Lara estava cega.

— Sim, combinado vem pra cá...
— Melhor venha naquela pracinha perto da minha casa precisamos conversar.

Grávida eu? Imagina

Sentada no Banquinho desta praça espero a Lara, sim a minha melhor amiga, estamos nos formando junto. Ela? Uma filha de pastor, regente da mocidade, a propósito, ela é um exemplo para os jovens. Sempre foi. Agora estou sentada aqui esperando para ouvir da boca dela a definição da palavra: Aconteceu. Eu aqui preocupada com o futuro da minha amiga:

— Que loucura ela deve ter feito, ela nem conhece aquele tal de Thomaz direito e fora que a fama dele é de galã, o André tinha me alertado sobre isto e falou para dar uns toques para a Lara. E vem ela...
Desta vez de vestido e sorrindo, falei para ela sentar e ela obedeceu, mas a menina parecia outra pessoa não era a mesma amiga que cresceu junto comigo. Era uma menina totalmente encantada pelo Thomaz. E dizia a Lara:

— Lorena ele disse que me amava que queria casar comigo que não aguentava esperar e eu estava morrendo de desejos... Olhei para ela sinceramente não sabia o que dizer:

— Lara agora já era não é ... Você já contou para a sua mãe?

— Nunca! Isto é um segredo meu do Thomaz e agora você está sabendo amiga. Do que importa a primeira vez ser no primeiro dia do casamento ou ser em um momento todo especial como foi ontem? (Não acredito que estava escutando isto e justamente da Lara a filha do pastor).

Olhava para ela e logo entendi que nada que eu dissesse mudaria algo sobre o que ela acreditava ser o certo ou o errado:

— Lara você é filha de crente e o seu pai, é um pastor! Ela me interrompeu abruptamente:

— Pare com essa conversa, foi só uma vez e só. Observando o jeito dela, por mais constrangedor que parecesse eu tinha que perguntar:

— Se protegeu?

— Proteger? Ela replicou minha pergunta.

— Ah não, cortaria o clima. Realmente não conhecia mais a minha amiga:

— Então você tem que confessar para o seu pai e para a dona Neide. E até levar uma disciplina lá na igreja você merece não é? Nosso corpo é templo do Espírito Santo. Ela olhou para mim, agora apreensiva.

— Você não vai contar nada a ninguém, vou conversar melhor com o Thomaz, não queria casar novinha como eu sou mas se for o caso casamos. Olhava agora para a aliança no meu dedo e agradecia em pensamentos não ter passado essa linha com o André e sim, colocava-me no lugar da Lara e tentava sentir o que era estar naquela situação:

— Eu não sei o que você vai fazer Lara, hoje à noite irei na Igreja com a sua mãe. Não vou contar nada a ninguém pois isto é assunto seu. Mas você sabe que tem de resolver essa situação, você já imaginou que pode até estar grávida do Thomaz. Ela olhou pra mim arregalando os olhos de modo vibrante:

— Grávida eu? Imagina!

Click abaixo e leia o próximo capítulo:
03 — Esperando na Janela

Nenhum comentário:

Recentes aqui no Blog

Pesquisar este blog