Contos Waldryano

Contos Lucas

01 — Planejando minha saída no sábado à noite


01 — Planejando minha saída no sábado à noite



Estou aqui debaixo deste chuveiro, olho para cima, fecho os meus olhos e ligo a água. Morna e agradável. Sinto ela descer no meu corpo... E a água limpa, descansa e me faz pensar...
Hoje é o dia de lavar meus cabelos, passo o shampoo nas mãos e coloco-os nele. Ensaboando deste modo o cabelo e logo após o corpo:

— Como é Bom um Banho no fim de tarde!

Com meus 17 anos sinto meu corpo jovem embaixo deste chuveiro e está água que me acalma...

— Lara já está meia hora embaixo do chuveiro!
Minha mãe com sua bronca me faz voltar a realidade...

— Já vou, estou me enxaguando. E ela volta a retrucar lá na cozinha.

— Sei... Mais cinco minutos ou eu vou desligar a chave.

— Que horror! Pensei: — Será que ela faria isso de novo comigo? Tomar banho na água gelada ninguém merece.

Termino meu banho me enxugo enrolando uma toalha para secar meus cabelos já no quarto minha mãe volta a falar comigo:

— Vamos na Igreja hoje Lara? ela fala com bastante calma, a fim de me convencer, pois havíamos brigado desentendimentos por eu ter chegado tarde em casa, neste dia estava com o Thomaz, com ele perco a noção do tempo...

— Sem chance mãe, vou sair com Lorena vamos a uma festa (a verdade mesmo é que tinha marcado com o Thomaz e não perderia por nada, sim, estávamos bem apaixonados e seria nosso primeiro encontro a sós)

— Mas filha hoje é o culto dos jovens e você tem suas responsabilidades. Outra vez a mãe levando pra esse lado:

— Ah mãe, a regência do conjunto de jovens? Deixa pra segunda regente, hoje vou no aniversário da Carla e já vou avisando: — Volto tarde.

Minha mãe perspicaz como só ela já estava deduzindo, e certo:

— Vai sair com o Thomaz?

Olhei para ela com uma cara de: — Não me pergunte isto.

— Não mãe, sairei com a Lorena vamos ao aniversário surpresa da Carla e só. Aliás, quer ligar para ela e estragar a surpresa? Tome o telefone (mostrava a ela o celular) — Eu disco, mas você que fale...

— Não filha, (fala ela desconversando meu argumento e voltando a citar meu namorado) é que eu não gosto do comportamento deste Thomaz, aliás hein? Ele nem veio pedir a sua mão para namorar para o seu pai? Cortei a frase dela pela metade:

— Que coisa anos oitenta essa de pedir pra namorar af...

Agora minha mãe me olha com um olhar autoritário e diz:

— Filha você já tem os seus dezessete anos e foi criada dentro da igreja e sempre aprendeu o que é certo e o que é errado. Me preocuparei sempre com você, aconteça o que acontecer sou sua mãe (e continuou ela com o seu blá,blá,blá) Estava terminando de me aprontar a Lorena já havia me enviado uma mensagem no celular queria 'despachar' ela logo minha mãe já estava me dando nos nervos. Falei a ela com aquela voz sonorizada e compassada que ela adorava e eu sabia muito bem representar:

— Sim mãe, vou me comportar, vai pra igreja e não esqueça de orar por mim, aliás ore por todos nós, mas hoje, hoje irei pra festa e a festa é lá na casa da Carla. Tocou a campainha, certeza que era a Lorena. Adeus, chegou a Lorena. Minha mãe olhou desconfiada. Sabia que eu iria aprontar...

Olhos azuis

Realmente a festa será boa... Não é Lorena? perguntei para ela acenando para o ônibus que estava acabando de aparecer... Morar na Capital tem destas coisas ... Tudo tem que pegar ônibus. Lorena me responde:
— Claro que vai ser Lara, a propósito, preciso te contar uma coisa, bom eu falo dentro do ônibus.

Agora dentro do ônibus por sorte bem vazio sentamos e olhei para ela, a Lorena estava muito feliz e isto era visível mas parecia também um pouco nervosa.

— Fale logo Lorena, não me deixe curiosa! Então ela disse:

— Combinamos com o meu namorado de casar, ele vai me pedir em noivado lá na casa amanhã. Eu olhei para ela e ela olhou para mim, não me aguentei tive que dizer para ela meio que sem jeito:

— Parabéns amiga! Ela já observando meu parabéns fajuto replicou:

— Fale logo o que você está pensando Lara. É.... eu e a Lorena somos amigas de longa data e ela sabe muito bem a minha opinião sobre casamento (e ela me veio com essa de casar...) é claro que desconversei.

— Que nada Lorena só estou pensando no Thomaz meus pensamentos só pertencem a ele. E hoje estarei a sós na casa da Carla com ele, isto me parece até um sonho... Lorena me olhava dando uma ajeitadinha em seu vestido, eu é claro estava de calça jeans e uma camiseta. Ela olhou para o que eu estava vestindo e logo indagou:

— Você não gosta de vestido. Não é filhinha do pastor? E eu com isso fiquei birrenta dela lembrar desta particularidade da minha vida.

— Hoje sou uma menina normal, nada de ficar relembrando isso.

— É Lara, disse Lorena, mas fico sem graça de perder o culto para sair, ainda mais sem o meu namorado (quase noivo) olhe a mensagem dele aqui... Lorena me mostrava o celular eram várias mensagens um grude... Lorena havia deixado o namorado para ir à festa da Carla comigo.

— Relaxa Lorena é bom ele sentir um pouco a sua falta... Já estávamos chegando e a Lorena daquele jeito dela parecia só de corpo presente. E eu? Cheia de expectativas iria encontrar o Thomaz.

A festa? Foi ótima a aniversariante fez aquela cara de: — Nossa eu não sabia! Claro que ela sabia da festa surpresa, faz me rir...

E então eu vejo:

— Meio atrasado como sempre.

O meu Thomaz que abria a porta, as meninas nem disfarçavam. Claro um gato. Mas ele procurava e no meio daquela galera ele me olhou. E me encontrou. — Que olhar! Seus olhos azuis penetravam a minha alma e sentia que era aquele garoto o amor da minha vida.


Click abaixo e leia o próximo Capítulo:

02 — Aconteceu