Contos Waldryano

Contos Lucas José

Prisão invisível - conselho pra vencer a pornografia

O acesso irrestrito a conteúdos impróprios e pornografia na Internet vem se tornando, para muitas pessoas, uma compulsão, tão séria quanto o vício em substâncias ilícitas. A adrenalina e o sentimento de culpa associados à pornografia são exemplos que confirmam a gravidade do problema.

A pessoa que consome conteúdo pornográfico talvez não perceba, mas o prazer que obtém se dá por meio da exploração da imagem do outro. Ou seja, por trás de uma foto ou vídeo pornográfico há vidas, seres humanos, que têm uma história (por vezes marcada por abusos) e que estão naquele momento sendo transformados em coisas, objetos de prazer.

Ao consumir pornografia, a pessoa enxerga o ser humano, que é criação divina, como objeto. Talvez ela não se lembre, mas as atrizes e os atores expostos ali também são filhos de Deus. Eles foram criados por Deus. Imagine o coração de um pai vendo seus filhos sendo tratados como objetos para consumo? É exatamente como Deus se sente.

Em João 15.12 está escrito: 

"O meu mandamento é este: que vocês amem uns aos outros, assim como eu os amei."

Ao acessar pornografia, não estamos amando o nosso próximo. Não estamos obedecendo a este mandamento divino. 

Peçamos a Deus que, em vez de consumir pornografia, tenhamos amor por essas vidas.

Para os próximos dias, foram preparadas ferramentas importantíssimas para a libertação da compulsão por conteúdos impróprios.
Arrependimento

O processo de cura de qualquer problema, mau hábito ou compulsão, só se inicia quando há reconhecimento de que algo está errado. Isso deve gerar um arrependimento genuíno em nosso coração.

Na Bíblia, vemos que o grande rei Davi cometeu adultério com Bate-Seba. Depois disso, o rei ainda enviou Urias, o esposo de Bate-Seba, para a frente de batalha, e Urias acabou morrendo. Até então não houve nenhum arrependimento da parte de Davi.

Mas quando o profeta Natã vai até Davi e o confronta com sabedoria, usando uma parábola, o rei experimenta um arrependimento genuíno e reconhece o seu pecado. É só então que Deus vê em Davi um coração sincero e o perdoa.

Em nossa vida acontece o mesmo. A cura só é possível a partir do momento em que experimentamos um arrependimento genuíno, a ponto de dizermos, como Davi: “Pequei contra o Senhor.”

Portanto, reconheçamos o nosso pecado diante de Deus. 

Creia:em nome de Jesus, ele pode libertar você ou as pessoas que você ama da compulsão por pornografia.
Pedindo perdão

Talvez você esteja pensando: “Ok. Reconheci meu pecado, tive um profundo arrependimento, mas não consigo ficar sem me alimentar do vício de conteúdos impróprios. Não consigo evitar e caio nele constantemente…”

Quando caímos, o inimigo começa a nos acusar, com suas mentiras, afirmando para nós que Deus não nos ama mais, não nos perdoa, não nos quer.

Em 1 João 1.9, a Palavra de Deus afirma:

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”


Deus nos perdoa. Essa é a verdade. Mas a nós cabe a tarefa de vigiar, para não pecarmos intencionalmente. Não devemos nos alimentar com pornografia só porque sabemos que, depois, Deus nos perdoará. Deus ama o pecador, mas detesta o pecado. Temos de pedir perdão constantemente, até mesmo dos olhares indecentes que lançamos sobre o nosso próximo.

Em Mateus 5.28, Jesus disse:
“Eu, porém, lhes digo: todo o que olhar para uma mulher com intenção impura, já cometeu adultério com ela no seu coração.” 

Por isso, precisamos estar vigilantes o tempo todo. Ao olhar para uma pessoa, desejando-a, precisamos pedir perdão.

Não hesite em orar, reconhecer suas fraquezas e pedir perdão a Deus, pois ele é fiel e justo para nos perdoar, quantas vezes forem necessárias, até que entendamos que esse caminho está levando nós mesmos ou as pessoas que amamos à morte — tanto espiritual quanto natural.

Deus quer nos libertar, de uma vez por todas, da compulsão por pornografia. 
Santidade

Para que tenhamos uma vida de santidade, precisamos diariamente de um tempo a sós com Deus. O corpo natural precisa de alimentação diária, para que possamos sobreviver. Assim também é a nossa vida espiritual. Todos os dias temos que alimentá-la.

No momento em que as coisas parecerem difíceis, no dia mau, ou seja, quando você vir alguma cena, ou for exposto a algum gatilho que leve você a consumir pornografia, se estiver alimentando mais a carne, fatalmente você sucumbirá. Mas se o espírito estiver mais bem-alimentado, dificilmente você cairá. 

Em Gálatas 5.17 está escrito:

“Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito luta contra a carne, porque são opostos entre si, para que vocês não façam o que querem.”

A nossa carne é super egoísta, como se fosse uma criança “birrenta”, querendo um presente que os pais não podem comprar. Ela grita: “Eu quero!”, “Eu quero!”, mas não está preocupada se vamos para o céu ou para o inferno, se sofreremos, aprisionados pela pornografia, se destruiremos nossos relacionamentos, se teremos depressão. Seu objetivo é simplesmente se satisfazer.

Em 1 Tessalonicenses 4.7 está escrito:

“Pois Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.”

Sendo assim, devemos viver uma vida de santificação com Deus, para que possamos vencer a carne. Há quatro elementos fundamentais para que nos mantenhamos em santidade:

Uma vida diária de oração,Leitura da Palavra de Deus,Jejum, e comunhão com amizades espirituais, cristãos e pessoas que tenham os mesmos valores que nós. 

Não é fácil vencer essa guerra sozinho. Esteja perto de quem pode ajudar você. Coloque em prática esses quatro elementos para ter uma vida de santidade, e você verá que é possível se livrar da pornografia.
Fugindo do pecado

Para vencer essa guerra, devemos fugir de tudo aquilo que nos leva à prática do consumo da pornografia.

Em Mateus 18.8, Jesus disse:

"Se a sua mão ou o seu pé leva você a tropeçar, corte-o e jogue fora; pois é melhor você entrar na vida manco ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, ser lançado no fogo eterno."

Se as redes sociais, ou talvez alguns seriados na Internet, ou algum outro hábito o leva a consumir pornografia, então exclua-o da sua vida. Alguns anos atrás, para consumir pornografia, a pessoa tinha de ir a uma locadora e alugar um filme. Hoje em dia, através de computadores ou até mesmo dos aparelhos celulares, qualquer pessoa pode ter acesso a conteúdos impróprios. Portanto, procure os gatilhos que o levam a querer ver pornografia e os arranque de vez da sua vida.

Na Bíblia, temos um exemplo de atitude de grande sabedoria, quando José do Egito, diante da mulher de Potifar tentando assediá-lo, foge:

"Então ela o pegou pela roupa e lhe disse:
— Venha para a cama comigo.
Ele, porém, deixando a roupa nas mãos dela, saiu, fugindo para fora." (Gênesis 39.12)

José não ficou conversando com ela, para ver o que iria acontecer ou se conseguiria resistir ao assédio.

Faça o mesmo. Fuja do que lhe faz mal. Peça a Deus que lhe dê forças para rejeitar tudo aquilo que leva você à prática do pecado. E se, mesmo assim, aparecer na sua frente alguma tentação, que você tenha forças para resistir.

Cuidado com seus olhos

Em nosso coração instalam-se todo tipo de contaminações possíveis. Em Mateus 15.19 está escrito:

“Porque do coração procedem maus pensamentos, homicídios, imoralidade sexual, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias.”

Por onde entram essas impurezas? Elas entram, na maioria dos casos, pelos nossos olhos. Ou seja, o cérebro absorve as informações enviadas pelos olhos, e isso chega ao nosso coração. Portanto, temos que observar bem ao que estamos expondo nossos olhos em nosso dia a dia. O rei Davi cometeu um dos seus grandes pecados, com consequências terríveis, por causa dos seus olhos:

“Uma tarde, Davi se levantou do seu leito e andava passeando no terraço do palácio real. Dali viu uma mulher que estava tomando banho; ela era muito bonita.” (2 Samuel 11.2)


Depois dessa experiência amarga que Davi teve através dos seus olhos, ele escreveu o texto de Salmo 101.3: “Não porei coisa injusta diante dos meus olhos.” Em outra passagem bíblica, o personagem Jó afirma: 

“Fiz acordo com os meus olhos de não olhar com cobiça para as moças” (Jó 31.1). 

Tudo o que os nossos sentidos captam — o que estamos ouvindo as outras pessoas falarem, o que também estamos falando e até onde colocamos nossas mãos — é fonte de bem ou mal.

Sendo assim, estejamos atentos e repreendamos tudo aquilo que nos tira da vontade de Deus. Rejeitamos o que não é bom para os nossos olhos, a fim de que nenhum sentimento maligno tenha lugar em nosso coração. 

Desafio de 21 dias

Se você chegou até aqui, é sinal de que a sua cura já começou. Este é um processo, e sabemos que pode ser uma jornada dolorosa. Mas, tenha ânimo! Deus está com você.

Normalmente, quando ocorre uma recaída, experimentamos sentimentos de culpa, tristeza, isolamento e rejeição. Sentimos, por vezes, que Deus não nos ama mais, devido à prática da pornografia. E isso é um engano do inimigo, pois Deus nos ama muito. Ele só quer o nosso melhor. E a prática do consumo de conteúdo pornográfico não é boa para nós ou para aqueles que nos cercam.

Em Colossenses 3.5, a Palavra de Deus afirma:

“Portanto, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena: imoralidade sexual, impureza, paixões, maus desejos e a avareza, que é idolatria…”


É fundamental disciplinar a nossa carne, e também os nossos pensamentos — porque, além dos nossos olhos, conforme foi tratado na reflexão anterior, os pensamentos nos levam também a pecar. 

Em Filipenses 4.8 há uma direção muito importante para a nossa vida:

“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o pensamento de vocês.”

Agora, gostaríamos de saber se você aceita um desafio. Faça conosco e com Deus um propósito de 21 dias, lendo dois capítulos de Provérbios por dia, todos os dias, procurando colocar o que aprendeu em prática. Ore diariamente, santifique seus pensamentos e faça um jejum. A Palavra de Deus, em Tiago 1.22-25, nos diz:

“Sejam praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando a vocês mesmos. [...] aquele que atenta bem para a lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte que logo se esquece, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar.”

Que Deus lhe dê força, fé e perseverança na luta contra as compulsões. E que você seja luz na vida de muitas outras pessoas que precisam de apoio e ajuda. Deus abençoe sua vida tremendamente!



Blog do Wal

Nenhum comentário:

Recentes aqui no Blog

Pesquisar este blog