Outlander uma série Fantástica [02]


Olá a todos, terminei de maratonar a 3º temporada no Netflix, e vim aqui no blog dar o meu parecer com Spoiler sobre esta temporada.

Se na primeira temporada, o ponto forte, foi as guerras, a ambientação e um final tortuoso para o protagonista.
Na segunda foi possível nos teleportar para a França de 1780 e interagir com o Rei da França (mesmo que a Claire teve que 'deitar-se' com o monarca, afim de, manter uma narrativa de: - O mocinho sofreu, na primeira temporada um abuso, agora a mocinha sofre também.
Na terceira temporada, a Claire em boa parte da temporada esta vencendo todos os preconceitos e dificuldades, para criar sua filha Briana. Com muito custo em seu tempo, se forma em Medicina, nutre um amigo negro, e cuida do seu casamento de fachada até a morte do seu marido.
Enquanto isto o Fraser, esta também lutando para sobreviver numa prisão. Conhece um 'amigo' que será bem útil na narrativa adiante. O menininho, ladrãozinho Francês perde a mão cortada por um soldado Inglês. 
E continuando a narrativa, Fraser, conhece uma donzela, e tem uma unica noite com ela, antes dela se casar com um velho nojento e asqueroso. Nasce deste modo o filho do Fraser (será o gancho para continuação da série?)
Isto já estamos pelas tantas do 7º episódio. 
Quando a Claire decide voltar no tempo para o seu grande amor.
Já se passaram 20 anos (Apesar de 20 anos passados os dois de físico estão intactos, ele o maromba e ela uma jovem) até mesmo a caracterização, ao meu entendimento, não tirou o ar de 30 anos dos dois.
Mas por outro lado, a química dos dois é o ponto forte das três temporadas.
E vamos para o que mais me chamou a atenção desta terceira temporada. A navegação.
Lá pelas tantas, o jovem Ian foi raptado por um navio mercantil português: o Brujas.
E começa uma boa sequência de imagens,  fotografia e de narrativa sobre as viagens em alto mar.
A Médica Claire aproveita da sua experiência (futura) para ajudar conter uma epidemia de febre tifoide que dizimava um navio.
E chegam a Jamaica onde se desenrola o último episódio desta temporada.
A propósito varias figurinhas aparecem neste episódio.
Uma amiga da Claire que era dada como morta (outra viajante do tempo) aparece, totalmente envolta a sangue de cabra. Cena muito bem feita e já deixa qualquer fã da série perplexo. O que ela esta fazendo alí?


Tal qual os livros de Agatha Christie, as coisas começam a se encaixar, muita informação dispersa na temporada tem a sua retomada.
O forte desta temporada ao meu ver sem dúvida foi em alto mar. E o final? Em meio a uma tempestade, um naufrágio e ambos agora estão na Georgia Estados Unidos, prontos pra a 4º temporada. Já lembrei e pensei no filme Gangues de Nova York. 

Agora é só sentar e esperar.

Fiquem com a minha pesquisa do penúltimo episódio 3º12 fonte Abaixo:

A um passo do final da temporada, Outlander entrega mais um ótimo episódio, marcado por reencontros de tirar o fôlego. The Bakra definitivamente cumpriu seu propósito como penúltimo capítulo do terceiro ano da série com maestria. Ele apresentou cenas importantes não apenas para o desfecho dessa temporada ser forte o suficiente para ficar na mente do telespectador, como também para o destino da série, expandindo ainda mais a possibilidade de tramas que ela pode vir a abordar futuramente. Com o destaque do retorno de personagens do passado, o décimo segundo episódio desse ano preparou o terreno para um season finale que tem tudo pra ser eletrizante e esclarecedor.


Outlander S03E12: The Bakra/Jovem Ian 
Outlander S03E12: The Bakra/Jovem Ian

The Bakra trouxe de volta o Jovem Ian às telinhas em Outlander, com uma nova e interessante abordagem. A cena introdutória dessa semana, que envolve o caminho que o personagem tomou desde seu sequestro (algo que ocorre em paralelo à trama da procura de Claire e Jamie pelo rapaz) e o encontro com Geillis, a “Bakra”, foi a cereja do bolo do penúltimo episódio desse ano. É óbvio que o momento de introduzir essa passagem tinha que ser deixado apenas para o final da temporada, com o objetivo de manter o segredo por trás do retorno de Geillis, mas isso não tirou a sua grandiosidade, algo que, aliás, poucas séries fazem hoje em dia. É raro ver esse tipo de cuidado, buscando abordar os pontos de vista de cada personagem numa narrativa, por parte da equipe de produção de uma série de TV. Mais um ponto positivo para Outlander!
De volta à análise do episódio, começo, então, pela presença de Claire e Jamie no mercado de escravos da Jamaica. É inegável que essa cena, dentre todos os acontecimentos importantes dessa temporada (tendo em vista que a despedida de Jamie do Willie, o momento mais desolador do terceiro ano, provocou-nos outro tipo de sensação), foi a mais impactante e pesada até então. Não deve ter sido fácil adaptar uma realidade como essa para a TV, de forma tão verossímil à época e o contexto da escravidão, não é verdade? Principalmente ao levarmos em conta a experiência da Claire e o seu tempo de origem como exemplo, onde a escravatura já estava abolida e o preconceito contra os negros era de um nível incomparável ao momento histórico do episódio em questão.


Outlander S03E12: The Bakra/Claire
Outlander S03E12: The Bakra/Claire

Já por outro lado, vamos analisar um momento aprazível de The Bakra, estabelecido pelo fortalecimento das relações amorosas da série. Começando pelo casal principal, sabemos que o amor de Claire e Jamie, por exemplo, é reforçado a cada episódio, com destaque para a belíssima troca de olhares deles essa semana. Esse momento deixou claro que o sentimento que um guarda pelo outro é tão forte e real, que quando não há uma fala (ou depois de anos separados) é possível ver o quanto a faísca entre eles ainda está viva. Onde até mesmo o retorno de John Grey, um personagem que ainda nutre um sentimento por Jamie (estando visível no seu reencontro com o ruivo) é capaz de abalar a relação dos pombinhos apaixonados.


Outlander S03E12: The Bakra/John Grey
Outlander S03E12: The Bakra/John Grey

E esse constante enaltecimento do “amor” em Outlander, uma tecla que a série sempre bate com maestria, também é visto em suas relações secundárias. Podemos vê-lo, por exemplo, na afeição à primeira vista de Yi Tien Cho com Margareth (será que ela fugirá com ele?), no desenvolvimento da relação de Fergus e Marsali e até mesmo, em uma das formas mais puras do amor (quando o sentimento não é encontrado em sua forma carnal, mas sim como amizade e zelo), na relação de Jamie e John Grey. Afinal, Outlander é, e sempre foi em sua essência, não apenas a história do amor transcendental que existe entre Claire e Jamie, mas também sobre uma discussão, num gênero narrativo, do que de fato é o amor, apresentando-o em todas suas formas e sensações.

Mas, Vinícius, onde Geillis se encaixa nessa sua viagem sobre Eros, Afrodite e o Cupido? Bem, a participação de Geillis não tem nada a ver com amor, mas sim até que ponto o cinismo e a crueldade de um ser humano pode chegar em vida. Afinal, venhamos e convenhamos, não existe alguém mais falsiane (Claire devia fazer esse teste, só assim estaria livre de pessoas como a Geillis) que ela, concordam? Brincadeiras à parte, o retorno de Geillis veio em boa hora, quando a série mais precisava de um antagonista, sendo apresentado (e justificado) com uma explicação simples e rápida, mas que cumpre seu propósito: tornar o caminho de Claire e Jamie para o season finale mais empolgante e conturbado. Melhor que isso impossível, não é?
Por fim, vamos ao momento enigmático do episódio dessa semana, com a revelação de uma nova (e bizarra) profecia:
“Quando 1200 luas tiverem passado duas vezes, entre o ataque do homem e a maldição da mulher… E quando o problema for eliminado, então um escocês usará a coroa.”



 Outlander S03E12: The Bakra/Geillis Duncan

Então, indo direto ao ponto, como explicado na cena de Geillis e Archie, a profecia diz que um novo rei surgirá na Escócia depois da morte de uma criança que tem 200 anos no dia de seu nascimento. E, bem, qual é a única personagem da série que se encaixa nessa descrição, senão a própria Brianna, não é verdade? A filha de Claire e Jamie foi “feita” em 1746 e nasceu em 1948, tornando-a indiretamente numa mulher com mais de 200 anos de idade. Por enquanto é difícil prever o que acontecerá no futuro (acerca do significado real da profecia para a vida dos personagens nas próximas temporadas), mas já no presente é outra história. Agora, com a profecia em mente e a iminente revelação de que Claire e Jamie tiveram uma filha que se encaixa com os dizeres ditos por Margareth Campbell, Geillis poderá tomar uma decisão, o que significa que Brianna pode virar um alvo a qualquer momento.
Será essa a trama desse season finale, com Claire e Jamie correndo contra o tempo a fim de impedir que Geillis possa viajar pelas pedras (em Abandawe) e matar Brianna? Se isso de fato acontecer, tudo indica que o Jovem Ian poderá ser usado como sacrifício, exatamente como o marido de Geillis o foi ao final da segunda temporada. Caso Abandawe tenha o mesmo poder de Craigh na Dun, qual a probabilidade de Claire viajar no tempo novamente, separando-se de Jamie mais uma vez? Que mistérios, mortes e revelações o episódio Eye of the Storm (Olho da Tempestade, em sua tradução) nos reserva? E ainda, até quando a vida de Brianna permanecerá sem ser abordada na série? Será que ela retorna ao fim dessa temporada ou apenas na próxima? E Jamie, estará ele destinado a ser salvo mais uma vez por John Grey? Qual será o papel do personagem no resgate de Jamie e daqui em diante na série?



Bem, Sassenachs, chega ao fim mais uma review. Então, qual é a expectativa de vocês para o season finale? Será que ele consegue superar a grandiosidade do último episódio da temporada anterior? E ainda, qual é a opinião de vocês, num saldo geral, sobre esse ano de Outlander? Esperavam mais da adaptação, da forma que os eventos foram apresentados até então, ou o livro baseado nessa temporada em si já é inferior (em termos de qualidade e rapidez narrativa) aos outros? Não se esqueçam de deixar seus comentários ao final do texto, prometo que dessa vez responderei todo mundo! Obrigado mais uma vez pela presença de todos até aqui, já deixo claro que sentirei a falta de vocês! Aguardo todos na semana que vem, com meu último review (esse ano, obviamente) dessa temporada no Série Maníacos!
Curiosidades:
The Bakra
Como de costume em Outlander, o título do episódio dessa semana não foi escolhido à toa, ele carrega uma interpretação bem sugestiva sobre Geillis Duncan. A palavra “bakra”, destinada à nova vilã da temporada, significa “mestre de escravos”, ou literalmente, na linguagem jamaicana, diabo ou uma pessoa enganosa. Ou seja, o diabo em corpo de mulher… Mais Geillis impossível, não?
Condessa Elizabeth Bathory, A Condessa de Sangue
Quem mais associou Geillis, na cena de abertura, à Elizabeth Bathory, rotulada através dos tempos como “A Condessa de Sangue”? Elizabeth Bathory foi uma das mulheres mais perversas e sanguinárias que a humanidade já conheceu. Ela tinha o mórbido prazer em ver o sofrimento alheio, conhecida por punir, torturar e matar severamente os que infringiam seus comandos. Elizabeth, assim como Geillis, se banhava em sangue para permanecer jovem eternamente. Interessante a inspiração dos produtores, não? Isso não apenas valorizou a personagem, como também a tornou mais sombria, intensificando seu nível de crueldade e tornando-a uma vilã digna e memorável.

Brianna 


Outlander S03E12: The Bakra/Curiosidade 

Provavelmente todo mundo já pensou nisso, mas, mesmo assim, acho interessante discorrer sobre esse assunto. Com o incêndio da gráfica, Brianna e Roger poderiam pensar que Claire e Jamie morreram (como disse em reviews passadas), mas agora, com o certificado da compra de Temeraire, a procura pela presença da mãe na história pode se tornar mais fácil. Será que é a partir dele que Brianna encontrará o paradeiro de Claire? Ou isso é apenas uma peça de um quebra-cabeça, que junto de outras informações no passado, possibilitará a descoberta do momento exato em que Claire e Jamie se encontram?

Gostou? Leia também Parte 1
Fonte https://seriemaniacos.tv/outlander-3x12-bakra/ Escrito por Vinícius Fernandes
Blog do Wal

Nenhum comentário: