Onyx Lorenzoni novo Ministro

Nos últimos dias que antecederam a eleição. A rede Globo colocou tipo um reporter para fazer os bastidores do QG do Bolsonaro.
Por conta de sua debilidade de saúde o Bolso foi obrigado a receber todo mundo que tinha alguma 'importancia' naquele momento na sua casa. E quem humildemente era o porteiro anfitrião foi este nome que até então era um ilustre desconhecido da imensa maioria dos brasileiros que nao sao engajados com política. E hoje é um dos nomes mais procurado no Google.
Onyx Lorenzoni
Abre aspas
Formado em Medicina veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria(UFSM), é luterano e pai de quatro filhos.
Presidiu a Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados entre 2008 e 2009.
A sua atuação em plenário o caracteriza como um dos mais ferrenhos opositores do PT, tendo buscado associar sua imagem ao combate à corrupção no Brasil antes de admitir publicamente o recebimento de caixa 2 da empresa JBS para campanha eleitoral em 2017.
Desde o primeiro mandato como deputado federal e há treze anos, é considerado um dos cem parlamentares mais influentes do Congresso pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar(DIAP).
Foi membro de dez Comissões parlamentar de inquérito (CPIs), entre elas, da CPMI dos Correios,CPMI do Cachoeira e da CPMI da Petrobras,e relator da Subcomissão de Normas de Combate à Corrupção e da Comissão que analisou medidas de combate à corrupção.
Foi o primeiro líder do partido DEM na Câmara dos Deputados do Brasil.Iniciou sua carreira política no PL,filiando-se depois ao PFL, atual DEM.Em 2004.
Concorreu a prefeito de Porto Alegre, ficando em terceiro lugar, com 9,97 por cento dos votos válidos (80.633 votos).
Concorreu novamente em 2008, pela coligação DEM-PP-PSC, com Mano Changes como vice. Na segunda tentativa ficou em quinto lugar, com 4,91 por cento dos votos válidos (38.803 votos).
Nas eleições de 2014, realizadas em 5 de outubro, foi eleito deputado federal pelo Rio Grande do Sul para a 55ª Legislatura (2015 — 2019).
Em 1 de fevereiro de 2015 assumiu, então, o quarto mandato.

No dia 14 de março de 2017, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF 83 pedidos de abertura de inquérito, a partir dos acordos de colaboração premiada firmados com 78 executivos e ex-executivos da Odebrecht,sendo mencionado em depoimentos da Odebrecht.
No entanto, em junho de 2018, o Ministro do STF Luiz Fux decidiu pelo arquivamento: "As diligências realizadas não foram suficientes para elucidar a materialidade do suposto crime".
Nas delações da JBS, foi acusado de receber "caixa 2" daquela empresa.
À RBS TV, Lorenzoni assumiu a irregularidade, justificando que "não tinha como" declarar o valor na Justiça Eleitoral, e que a cifra teria sido inferior aos 200 mil reais citados por Ricardo Saud.
Em 2016, votou a favor do processo de impeachment de Dilma Rousseff.
Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos. Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.
Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer.
A partir de 1 de janeiro de 2019 será o Ministro-Chefe da Casa Civil do presidente eleito Jair Bolsonaro.
Fecha aspas
Fonte: Wikipédia

Nenhum comentário:

Translate