Manda quem pode, Black Mirror, Enredo e Crítica


"Shut Up and Dance" é o terceiro episódio da terceira temporada da série antológica de ficção científica britânica Black Mirror. Estrelado por Jerome Flynn e Alex Lawther, o episódio foi escrito pelo criador da série e showrunner Charlie Brooker juntamente com William Bridges. A estreia aconteceu pela Netflix em 21 de outubro de 2016.

Uma mulher (Susannah Doyle) dirige um carro até um parque de estacionamento, bastante nervosa, ela deixa as chaves do veículo em um dos arcos dos pneus antes de receber um texto no celular e ir embora.

Kenny (Alex Lawther), um adolescente, instala um removedor de malware em seu laptop depois que sua irmã pegou-o emprestado sem permissão. Usando o primeiro link de pesquisa, para um site chamado "Shrive", ele consegue remover o vírus. No entanto, um hacker oculto ganha acesso à webcam do laptop e grava Kenny se masturbando na frente do mesmo. O hacker envia um e-mail para Kenny dizendo-lhe para fornecer seu número de telefone, ou o vídeo dele se masturbando seria liberado para todos na sua lista de contatos. Kenny aceita e envia seu número.

O hacker diz-lhe para manter o telefone ligado e carregado o tempo todo, da mesma forma, ele deve deixar seus serviços de localização habilitados para o hacker saber onde ele está. Por fim, o hacker também diz a Kenny para aguardar até que ele fosse "chamado".

No trabalho, Kenny recebe uma mensagem de texto do hacker, instruindo-o a ir até o último andar de um parque de estacionamento, ou seu vídeo será lançado. Kenny diz a sua chefe (Hannah Steele) que está se sentindo doente e consegue uma desculpa para sair e chegar lá bem a tempo. No estacionamento ele encontra um motociclista (Ivanno Jeremiah), também uma vítima do hacker, que dá a Kenny uma caixa com um bolo dentro. O motociclista tira uma foto de Kenny. Kenny é instruído a escrever um número de código para verificar a entrega e é dito para entregar o bolo para um homem em um quarto de hotel. Quando a porta do quarto do hotel é finalmente aberta, Kenny conhece Hector (Jerome Flynn), que também é um "refém" do hacker. Depois de vomitar e beber uma garrafa, Hector aceita a situação. Kenny é instruído a tirar uma foto de Hector para confirmar a entrega. Então, o hacker manda ambos irem até o parque de estacionamento do hotel e usar o carro que a mulher tinha deixado anteriormente.

O par é requisitado para dirigir a um local específico fora da cidade. Hector revela que o hacker personificou uma prostituta que deveria conhecê-lo no quarto de hotel. Como um homem casado, Hector está determinado a cumprir os pedidos do hacker para não enfrentar um divórcio e perder a custódia de seus filhos. Enquanto ele diz a Kenny que os hackers acessaram todo o seu disco rígido para encontrar imagens e mensagens explícitas, Kenny se debruça em lágrimas, aparentemente percebendo que os hackers fizeram o mesmo com seu computador. O par chega até o local e, em seguida, eles são instruídos para olhar dentro do bolo. Eles encontram uma arma, um chapéu e óculos de sol; O hacker pede para eles roubarem um banco nas proximidades. Hector espera no carro como um motorista de fuga. O medo extremo faz Kenny perder o controle de sua bexiga, contudo ele consegue roubar o banco. Depois que a polícia é acionada, ele e Hector escapam.

É dito para Hector destruir o carro sozinho, enquanto é dito para Kenny entrar em uma floresta próxima para entregar o dinheiro. Já dentro da floresta, Kenny conhece um homem (Paul Bazely) com uma grande caixa contendo um drone. Revelando-se como outra vítima do hacker, ele diz para Kenny que eles devem lutar até a morte, enquanto o drone assiste a luta de cima, com o dinheiro indo para o vencedor como um prêmio. O homem pergunta a Kenny que provas têm contra ele; Kenny começa a chorar e diz que ele só olhou para algumas fotos. O homem pergunta: "Eles eram muito jovens?", revelando que Kenny estava se masturbando com pornografia infantil. Kenny, ainda segurando a arma, mira para si mesmo e puxa o gatilho, mas descobre que está sem balas. Os dois lutam, enquanto o drone observa tudo no alto.

Hector volta para casa e recebe outra mensagem de texto do hacker: uma foto de um trollface. Hector descobre então que sua esposa foi informada sobre o encontro com a prostituta. As outras vítimas também tiveram suas informações sensíveis liberadas mesmo tendo cumprido com todas as instruções do hacker, recebendo mensagens de texto com o mesmo trollface.

Kenny sai da floresta, ensanguentado e com o saco, presumivelmente contendo o dinheiro roubado. Ele recebe um telefonema de sua mãe, dizendo-lhe que provas dele se masturbando com pornografia vazou para a imprensa e foi alegado que envolvia "crianças". Ela histericamente exige saber o que ele fez. Kenny não diz nada bem como o hacker novamente envia a imagem do trollface. De repente, as luzes azuis e sirenes de carros de polícia surgem ao fundo enquanto Kenny continua andando incertamente ao longo da estrada. Ele é apreendido por dois policiais.

Crítica

Tim Goodman do The Hollywood Reporter elogiou o desempenho de Alex Lawther no episódio, chamando-o: de "uma das melhores coisas de 2016". Por outro lado, Adam Chitwood do Collider afirmou que, embora não tenha sido um "episódio ruim", foi "Tenso de frustrante [...] [e] um pouco longo demais tendo uma das narrativas mais sombrias da temporada. Robbie Collin, do The Daily Telegraph, avaliou o episódio com 5 de 5 estrelas, descrevendo-o como "inclemente [e] implacavelmente fascinante". Matt Fowler da IGN elogiou o episódio dizendo que deixa o espectador "completamente abalado", e que também foi um "episódio marcantemente doloroso". Sophie Gilbert do The Atlantic comparou o episódio com "White Bear", outro episódio da série em que uma pessoa aparentemente inocente revelou-se como um criminoso.Martin Meany do Goos3D avaliou o episódio com 5 de 5, elogiando a simplicidade do conflito que Kenny enfrenta.
Martin Meany do Goos3D avaliou o episódio com 5 de 5, elogiando a simplicidade do conflito que Kenny enfrenta

Séries Netflix

Nenhum comentário:

Translate