Contos Waldryano

Contos Lucas

Guia prático para escrever um livro [Capítulo 08]





Capítulo 08
A personagem, e as suas funções na narrativa

A personagem:
São pessoas que participam da narrativa. Figuras animadas que possam viver situações do universo narrado, tais quais estas personagens poderiam vivenciar na realidade.
Para construir uma personagem devemos seguir a verossimilhança com a realidade. Na literatura utiliza-se a personagem no gênero feminino, pois deriva de persona, mas pode-se usar a palavra no masculino. Toda a narrativa é povoada de personagens quanto a função:
-Protagonista; personagem que vivem o conflito central da ação.
-Antagonista; aquelas personagens que se opõem aos protagonistas.
-Adjuvantes; personagens secundárias que auxiliam os protagonistas ou os antagonistas no desenvolvimento da ação.
-Figurantes; personagens que não participam da ação.
Enredo: Ação
São acontecimentos narrados. A narrativa só ocorre porque algo aconteceu.
Os eventos narrados e vividos pelas personagens consistem no enredo. Uma ação pode ser psicológica, quando acontece na intimidade da mente das personagens ou pode ser externo quando acontece fora do plano unicamente psicológico.
O enredo é a organização da trama contada. Ele pode ser organizado sem a ordenação cronológica. Por exemplo, uma narrativa pode começar pelo final e desenvolver-se de modo a apresentar o início depois de ter narrado o final. O guia vai deixar uma lição de casa: - Assista Amnésia, 2001 de Christopher Nolan, vou deixar na mídia um comentário para aguçar sua curiosidade.
Já há narrativas que não tem enredo, só história, Como Chapeuzinho vermelho, por exemplo, que é contada seguindo-se rigorosamente a ordem linear dos acontecimentos, começo meio e fim.
Tempo:
Toda a narrativa acontece determinada a um intervalo de tempo, este é o tempo da história. Ou seja, o tempo que efetivamente vai acontecer a ação . Podendo ela durar em um dia, uma hora, um ano ou até milênios.
O leitor deve ser capaz de perceber as nuances do tempo na narrativa e indicar a predominância do tempo psicológico ou cronológico.
O tempo da história também pode ser diferente do tempo do discurso, também o tempo da narrativa pode ser diferente do tempo do discurso que conta a mesma história.
Espaço:
É o cenário da ação, pode ser simbólica, literal ou sugestiva.
É importante adequar o espaço com os elementos da narrativa. É o narrador que elabora as noções de espaço numa narrativa. Por isto é importante o estudo da narrativa, e a forma narrativa empregada no livro lido ou a ser formulado. Para que o espaço seja considerado: simbolicamente, literalmente ou psicologicamente. Levando em conta a perspectiva do narrador.

Chegamos até aqui e aprimoramos os nossos conhecimentos, poderemos até mesmo encarar uns escritos não é mesmo? Conhecemos noções básicas literárias, e exploramos narrativas diversas. Aposto que você aspirante a escritor já esta se inspirando e afinando a pena! Abraço até o próximo encontro.


Guia prático para escrever um livro

Nenhum comentário:

Translate