Contos Waldryano

Contos Lucas

Guia prático para escrever um livro [Capítulo 14]

Capítulo 14
O pré modernismo chegando...
 Tudo bem com vocês leitores, hoje vamos dar um salto na literatura Brasileira e chegar ao modernismo. Mas vamos relembrar o que já foi conversado aqui?
A literatura informativa, é os primórdios da nossa língua, lembra-se que comentei, Quem descobriu o Brasil? Quem escreveu esta descoberta foi Pero Vaz de Caminha em sua carta ao rei. Quando tiver curiosidade, não custa nada ler este documento histórico escrito faz um tempão 1500 anos atrás. Mas é bem interessante e uma leitura desta carta vai trazer muitíssimo conhecimento pra a sua vida de escritor. Digamos traumatiza mesmo...
A sim, tinha depois aquelas escritas de Padres que catetizavam os índios com seus escritos neste período. Não esqueça disto também!
A literatura Barroca lembra aleijadinho? Mas aqui se lembre de Gregório de Matos o boca do inferno, que escrevia em seus texto coisas santas em contraste com coisas profanas. A mas existe neste período um padre que escreveu um grande manual para pregadores.Padre Antonio Vieira e o Sermão Sexagésima.
O Romantismo
Começou-se os Romances, com o Livro Dom Quixote de La mancha que foi uma das primeiras novelas que surgiu lá na Espanha e demonstra bem a transição do barroco para o que veio depois que foi o romance. Um salto e chegamos na Alemanha e Goeth escreve um famoso romance que utilizou a verossimilhança a flor da pele no seu livro: -O Sofrimento do jovem Werther . Sabe aquele conceito de romance meloso no ultimo. –Eu te amo, te quero e cortarei meus pulsos se não aceitar o meu amor! Veio deste romance, um sucesso absoluto na Europa. Por ser tão, tão, real. Muitos jovenzinhos enganavam-se com o romance achando que era real os eventos narrados.
E muitos embarcaram nesta nova literatura, aqui no Brasil, José de Alencar, Machado de Assis e um famoso que escreveu pouquíssimos livros (pois morreu bem jovenzinho também). Fala-se do primeiro momento do romantismo você lembra de Alvares de Azevedo.
Realismo e Naturalismo
Realismo foi digamos. Não é tão real assim esse amor flu-flu que escrevemos, vamos ser mais reais possíveis com isto! E muitos começaram a adaptar seus textos. Machado de Assis descreveu o adultério, ou um suposto adultério e muitas críticas sociais em seu texto Dom Casmurro. Realismo a flor da pele. Por isto existia muito pessimismo neste novo texto e criticas a burguesia e sua hipocrisia, você lembra de Senhora.
E o Naturalismo?
Muitos filósofos também ditavam o digamos pensamentos sociais daquela época, e para determinar o Naturalismo, é necessário conhecer o determinismo (ixi deu até eco nesta escrita). Sim, os escritores queriam demonstrar na literatura um romance de tese, e sendo deste modo provar que o meio degrada o cidadão pela convivência e conhecemos Aluisio de Azevedo que escreveu um livro: -O Cortiço, onde demonstrou bastante isto.
Parnasianismo e Simbolismo?
Falamos um pouquinho de poesia lembra?
Mas agora as coisas estão se modernizando a sociedade já esta na revolução industrial e a literatura antenada com seu tempo esta se adaptando, passamos por tantos períodos? E chegamos no pré modernismo para enfim o modernismo.
Houve aquela revolução textual literária.
Grandes nomes se reuniram para discutir a literatura (entre outras coisinhas também, a literatura a arte e a musica sempre caminharam bem próximas).
E todos os pensantes que digamos imprimiam a sua opinião se reuniram lá pelos anos vinte na famosa Semana da Arte moderna.
Comentei em algum momento que os romances escritos sempre eram digamos nos moldes europeus. E os escritores queriam utilizar o regionalismo brasileiro para os escritos, e assim fizeram. Não era necessário uma metrificação perfeita para escrever ouviu? E também surgiu termos como surrealismo, tudo nestes debates.
Mario de Andrade fez uma importante obra: -Macunaíma . Bem abrasileirado a fim de protestar contra os paradigmas europeus quase norma ao ato de escrever.
Pois bem, próximo encontro conversaremos mais sobre o modernismo e sobre a atualidade da nossa literatura. Doeu? Claro que não a literatura não é tão chata assim? Abraços espero vocês leitores!
Guia prático para escrever um livro

Nenhum comentário:

Translate